Cimberley Cáspio - jornalista - cimberleycaspio@yahoo.com

Cimberley Cáspio - jornalista - cimberleycaspio@yahoo.com
cimberleycaspio@yahoo.com

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

RESTAURANTE EM NOVA YORK VENDE ROSQUINHAS POLVILHADAS EM OURO.

Por Cecilia Jamasmie - reproduzido da Revista MINING.com - editado p/ Cimberley Cáspio

Este restaurante de Nova Iorque está vendendo rosquinhas cobertas de ouro
Imagem por Manila clube social.

últimas tendências em cena gourmet da cidade de Nova York não são tão exóticas como um creme de chouriço de gelo ou uma fritada de lagosta-caviar, mas algo muito mais simples: donuts.

Agora, estamos a falar de Nova York. Então, essas guloseimas fritas não são o seu companheiro habitual de café, mas um feito de inhame roxo doce usado em muitas sobremesas filipinas, coberto por crosta de gelo feita com champanhe Cristal, aromatizado com cerveja IPA de Bushwick e polvilhado com ouro 24 quilates. Seu preço? US $ 1.200 por dúzia. Na terça-feira a onça foi cotada a $ 1.078.

Onde encontrá-la? No Manila clube social, um restaurante Filipino em Williamsburg, Brooklyn, inaugurado em abril, onde Björn Delacruz, o proprietário do restaurante e chef, está rindo de orelha à orelha, diante da grande aceitação, consumo e receita, principalmente.

Este restaurante de Nova Iorque está vendendo rosquinhas cobertas de ouro
O dono do restaurante e chef, Björn Delacruz, trabalhando em um dos anéis de espuma dourados. (Por Tabakodelacruz viaInstagram)

Este restaurante de Nova Iorque está vendendo rosquinhas cobertas de ouro

Fonte: http://www.mining.com/this-nyc-restaurant-is-selling-gold-covered-doughnuts/?utm_source=digest-en-mining-160105&utm_medium=email&utm_campaign=digest


quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

PAÍS SEM CABEÇA! GOVERNO MANDA, JUSTIÇA MANDA E BANCO DIZ NÃO! NINGUÉM OBEDECE. É O CAOS.

Por Nelson Bortolin - reproduzido da Revista Carga Pesada
Resultado de imagem para Foto: manda e desobedece
Imagem: www-hi-starshine.blogspot.com

Por meio da medida provisória (MP) 707, publicada no Diário Oficial dia 31 de dezembro, o governo federal prorrogou até 30 de junho de 2016 o refinanciamento de caminhões previstos na lei federal 13.126. A lei beneficia os caminhoneiros autônomos e as empresas de transporte rodoviário de carga que faturam até R$ 2,4 milhões por ano e que adquiriram veículos até 31 de dezembro de 2014 com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Os bancos são autorizados a suspenderem o pagamento de 12 parcelas, que são transferidas para o fim do contrato com a taxa de juros original. Assim, os transportadores ganham um ano de fôlego para enfrentarem a crise econômica.

O problema é que, como não são obrigados, apenas autorizados, os bancos privados não estão fazendo o refinanciamento. Somente o Banco do Brasil e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) oferecem o benefício aos caminhoneiros, desde que não tenham nenhuma parcela em atraso.

Para conseguir o refinanciamento, muitos caminhoneiros estão entrando com ações na Justiça.

A prorrogação do prazo para o refinanciamento não empolgou o presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas de Francisco Beltrão (Sindicat/Sudoeste do Paraná), Janir Bottega. Ele participa do Fórum Permanente do Transporte Rodoviário de Carga, que se reúne toda última quarta-feira do mês em Brasília. O grupo, que é composto por representantes do governo, dos transportadores e dos embarcadores, foi criado após a greve dos caminhoneiros no início do ano passado, com o objetivo de estudar propostas para atender as reivindicações da categoria.

“A prorrogação foi um pedido nosso (do Fórum), mas não adianta nada se os bancos continuarem se negando a fazer o refinanciamento”, afirma. Segundo ele, os bancos estão fazendo exigências absurdas para dificultar a concessão do benefício aos caminhoneiros. “Chegam a pedir carta de fiança de outro banco. Não aceitam seguros feitos por meio de associações de caminhoneiros. Usam todos os subterfúgios para não refinanciar”, conta.

De acordo com Bottega, nem mesmo quem entra na Justiça está conseguindo o benefício. “O juiz determina apenas que o banco encaminhe a solicitação do refinanciamento ao BNDES. Mas os bancos passam a fazer exigências que inviabilizam o negócio”, declara. E o governo, na opinião do presidente do sindicato, não se esforça para convencer as instituições financeiras a refinanciarem.

O presidente do sindicato está desanimado quanto à possibilidade do Fórum obter avanços reais para os caminhoneiros autônomos. “Para mim, a função do Herbert Drummond (representante do Ministério dos Transportes e coordenador do Fórum) é tentar convencer a gente de que nossas reivindicações foram atendidas. Mas isso não é verdade”, afirma.

Ele cita alguns exemplos: o governo federal aprovou a lei permitindo o refinanciamento dos caminhões, mas os bancos não aderiram a ela; a categoria pediu uma tabela com valor mínimo de frete, mas o governo criou uma tabela referencial; o governo federal determinou a isenção de pedágio nos eixos suspensos dos caminhões, mas os governos estaduais estão descumprindo a lei.

De acordo com Bottega, se o governo não der atenção urgente à categoria, pode haver uma grande greve em fevereiro. “Parece que o governo só se mexe sob pressão. Se os caminhoneiros não conseguirem refinanciar os caminhões, em breve, terão de lutar por algo mais drástico, que é o perdão de suas dívidas, assim como fizeram os agricultores em anos anteriores”, alega.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

NAVIOS CONTINUAM JOGANDO AO MAR, CONTÊINERES CARREGADOS DE LIXO.


Por Mikhail Voytenko - reproduzido da Revista FleetMon - editado p/ Cimberley Cáspio

HORIZON TRADER


O jornal The Hindu afirmou que o navio contêiner americano HORIZON LINES pode estar encalhado ao largo da costa Norte de Maharashtra perto de Hazira, Gujarat, e pode estar carregando poluentes orgânicos e substâncias radioativas.

A Rede de Ação de Basiléia (BAN), um observatório internacional de resíduos tóxicos, que acompanhava o navio americano HORIZON LINES,em certo momento, alegou falsamente um apagão, porém às autoridades da Índia sabem que a intenção é despejar o lixo tóxico no oceano índico.

Segundo informação do serviço de inteligência da marinha da Índia, o navio está carregado com poluentes orgânicos persistentes (POP), amianto e, possivelmente substâncias radioativas, colocando a segurança marítima do país e o meio ambiente em risco.

Fontes na Guarda Costeira disseram que não estão conseguindo rastrear o navio, e estão também sem acesso aos seus registros. Se não está de fato encalhado ao largo da costa Norte de Maharashtra, está em algum lugar do oceano índico. Não há faixas recentes do paradeiro da embarcação.

Por outro lado, o Pacífico Norte é vítima constante desse crime,segundo o greenpeace, que já denunciou essa prática na ONU, mas até agora nada. E enquanto isso, o lixo de muitos países, vão sendo jogados  nas regiões mais desertas dos oceanos da Terra de forma indiscriminada.

Fonte: FleetMon-/www.fleetmon.com/maritime-news/2016/10891/no-trace-us-container-ship-horizon-trader-suspect-/